5G vai fomentar crescimento sustentável do Brasil, diz Fábio Faria

Na COP26, o ministro das Comunicações falou sobre a importância das tecnologias para a redução de emissões de gases poluentes.

147

Leer en español

Para o ministro das Comunicações, Fábio Faria, o 5G vai fomentar o desenvolvimento de projetos que garantam o crescimento sustentável do Brasil. Ele participou do painel “Crescimento verde e 5G na Amazônia” recentemente na 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP26), em Glasgow, na Escócia.

“As tecnologias de informação e comunicação representam cerca de 3% das emissões de gases do efeito estufa no mundo. A boa notícia é que elas podem ajudar a reduzir significativamente os outros 97% de emissões”, afirmou.

Segundo Faria, o uso de ferramentas digitais “propiciam um consumo menor de combustíveis fósseis, a  economia de recursos naturais e a transmissão do conhecimento necessário ao crescimento sustentável”.

Contribuição do 5G

Ele apresentou que 10% da energia no Brasil é perdida no processo de transmissão ou distribuição. Em relação aos recursos hídricos, a perda é de 30 a 50% nos países em desenvolvimento.

“Uma das aplicações mais interessantes consiste na instalação de microfones hipersensíveis ligados à rede 5G que captam as frequências sonoras do vazamento de água. Isso permite a sua rápida identificação, a localização e o pronto reparo”, destacou.

O ministro também comentou que a tecnologia 5G potencializa o monitoramento da floresta amazônica no combate ao desmatamento. “Temos duas missões: levar Internet e conexão a todos os brasileiros e usar a tecnologia para preservar o meio ambiente”, disse.

O leilão do 5G aconteceu no começo deste mês, e uma das obrigações listadas no edital, como contrapartida de outorga das frequências, é investir no programa Norte Conectado para a construção de infovias na região amazônica.

“Uma rede típica de telecomunicações na Amazônia, enterrada ou posteada, poderia implicar a destruição de 68 milhões de árvores. O que faremos é lançar uma rede subfluvial, que aportará nas principais comunidades amazônicas, sem derrubar uma única árvore”, explicou Faria.

Nesta segunda-feira, 15, o ministro se encontrou com o empresário Elon Musk em busca de parceria com o governo brasileiro para o programa Wi-Fi Brasil e para monitorar a Amazônia com os satélites da SpaceX.