Anatel aprova exploração de satélite da Intelsat até 2025

Com a aprovação, a empresa poderá manter o IS-901 na posição 27,5º O por mais quatro anos. O preço público a ser pago é de R$ 102 mil.

320

Leer en español

A Intelsat conseguiu o direito de exploração do satélite IS-901 na posição 27,5º O e de uso de radiofrequências no Brasil até 2025. O Conselho Diretor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aprovou o pedido por unanimidade em sua reunião mais recente, garantindo a atuação do equipamento por mais quatro anos.

De acordo com o relatório da agência, o IS-901 foi autorizado anteriormente na posição 18º O, mas perdeu a validade em agosto de 2019. Desde então, o equipamento foi deslocado para a posição 27,5º O, e teve permissão para permanecer até 21 de dezembro de 2021.

A Intelsat ainda informou que o satélite estava no final de sua vida útil em 2019, mas um reabastecimento no ano seguinte lhe deu uma sobrevida de mais 5 anos. 

Com isso, o Conselho Diretor aprovou a exploração, de 22 de dezembro de 2021 a 28 de fevereiro de 2025, das “subfaixas de 3.720 a 4.200 MHz (enlaces de descida) e 5.925 a 6.425 MHz (enlace de subida), correspondentes à banda C, e de 10.950 a 11.200 MHz e 11.450 a 11.700 MHz (enlace de descida) e 14.000 a 14.500 MHz (enlace de subida), correspondentes a banda Ku.”

O pedido da Intelsat ainda incluía as frequências 3.625 MHz a 3.700 MHz e 3.700 MHz a 3.720 MHz, mas a Anatel negou a solicitação para evitar conflitos com a ativação do 5G.

A empresa deverá pagar R$ 102 mil pelo direito de exploração do satélite.