Brasil conecta comunidades via satélite no Mato Grosso do Sul

Até o momento, já foram instalados 51 pontos de conectividade em sete estados brasileiros. A iniciativa do Ministério da Agricultura prioriza áreas rurais.

190

Leer en español

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) entregou recentemente 34 novos pontos de conexão via satélite para comunidades no estado do Mato Grosso do Sul.

A ministra Tereza Cristina mencionou que pedirá ao Ministério das Comunicações para colocar pelo menos um ponto de conexão na zona rural dos municípios do estado. “Superar o desafio da conectividade rural significa mais do que apenas encurtar distâncias. Significa inclusão, renda, cidadania e desenvolvimento sustentável”, disse a ministra em um post no Twitter.

As comunidades receberam o sinal 4G por meio do modelo de satélites geoestacionários, que permite a transmissão de dados em regiões remotas e de difícil acesso.

Até o momento, a pasta instalou 51 pontos de conectividade em assentamentos dos estados de Alagoas, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraíba e Sergipe. Atualmente, apenas 8,71% da área rural do país possui cobertura 4G, segundo dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Outras iniciativas

A inauguração faz parte do programa Comunidades Rurais Conectadas, que integra as ações de conectividade no campo. Segundo o Mapa, as frentes de atuação para conectar comunidades do agro também envolvem projetos-pilotos de antena 5G, além de um estudo sobre o impacto da rede nas regiões agrícolas. 

Estima-se que a ampliação do acesso à Internet para até 90% do território agrícola em quatro anos pode impactar 9,6% no valor bruto da produção, chegando a quase R$ 102 bilhões.

De acordo com o ministério, a iniciativa conectará, em uma primeira fase, 166 localidades rurais, que incluem assentamentos, escolas, áreas rurais remotas, privilegiando locais que podem contribuir para o desenvolvimento regional no agronegócio. Os pontos estão distribuídos em 134 municípios de 10 estados, principalmente das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

O leilão do 5G é outra ação que pode beneficiar a conectividade no campo, por meio dos compromissos que deverão ser assumidos pelas empresas vencedoras. Uma das obrigações, por exemplo, é conectar áreas que atualmente não são atendidas, como localidades e estradas, com tecnologia 4G ou superior.

Na parte da iniciativa privada, a ConectarAGRO é responsável por levar 4G a 6,1 milhões de hectares pelo Brasil, beneficiando mais de 50 mil propriedades e 600 mil pessoas indiretamente. O objetivo do grupo é chegar à marca de 13 milhões de hectares conectados com 4G em 2022.