Brasil | Indústrias nacionais ganham espaço

Pollux, Jacto e Selettra desenvolvem robôs para setores como alimentos, agronegócio e automotivo.

110

Valor – Martha Funke

A indústria automotiva e de autopeças ainda responde por quase 80% do parque instalado de robôs no país. Mas setores como alimentos, bebidas, higiene e limpeza, logística e agronegócio mostram interesse em sistemas sofisticados.

A Pollux, sediada em Joinville (SC), registrou crescimento anual de até 40% nos últimos quatro anos e hoje está em 12 países, levada por empresas globais como a Nestlé, satisfeitas com projetos em filiais locais. Comprada em março pela Accenture, compõe agora a prática Industry X para fornecer solução de indústria 4.0, desde sensores até sistemas em nuvem.

O diretor da Industry X e fundador da Pollux, José Rizzo Hahn Filho, absorveu também a equipe local da alemã Umlaut, de engenharia de manufatura, outra aquisição da Accenture. Ele observa maior demanda por todos os tipos de robôs. Desde fixos e isolados com braços móveis até colaborativos (cobots), integrados ao trabalho humano, e veículos autônomos móveis com movimentação por sensores e scanners a laser (AMRs, diferente dos AGVs, que trafegam em trajetos pré-definidos). Cobots e AMRs crescem 30% ao ano no mercado mundial, diz.

Mais informações: https://valor.globo.com/publicacoes/suplementos/noticia/2021/10/21/industrias-nacionais-ganham-espaco.ghtml