Brasil | Ministério das Comunicações não descarta regulação para TVRO

119

Telaviva – Fernando Lauterjung

O Ministério das Comunicações não descarta a possibilidade de regular a TV aberta por satélite após a migração para a banda Ku, a TVRO 2.0. Por enquanto, disse Otávio Caixeta, diretor de regulação de radiodifusão do MCom, no Congresso Latinoamericano de Satélites, o órgão faz apenas um acompanhamento do mercado para averiguar se haverá a necessidade de uma regulação específica. “Se começarem a se afastar do modelo livre, aberto e gratuito, podemos intervir”, disse Caixeta no evento organizado por TELETIME e Glasberg Comunicações. “Até porque não faz sentido usar recursos públicos para financiar essa transição (para o digital) e, de repente, deixar de ser gratuito”, completou.

Para os radiodifusores, o modelo mencionado pelo diretor de regulação de radiodifusão é a prioridade, ainda que não se descartem a possibilidade de enriquecer as características do futuro modelo de TVRO. Segundo Ana Eliza Faria e Silva, gerente sênior de regulação da Globo, a premissa do setor e da Globo é prover aos domicílios que hoje desfrutam do conteúdo via satélite a mesma a experiência no futuro. “Não podemos desconsiderar a possibilidade que a migração traz de agregar outros atributos da TV aberta ao satélite, mas a prioridade do setor é que esteja claro para a população que este é um serviço aberto e gratuito”, explica a executiva da Globo. Entre os atributos desejáveis da TV aberta está a regionalização do conteúdo.

Leia mais: https://telaviva.com.br/02/09/2021/minicom-nao-descarta-regulacao-para-tvro/