Brasil | Oi não resistiria à pulverização dos ativos da Oi Móvel

52

Convergência Digital – Ana Paula Lobo

A proposta feita pelas entidades TelComp e Associação NEO de uma venda da Oi Móvel – a partir da pulverização dos ativos pelos 67 DDDs pelos quais foram divididos  – seria prejudicial à sustentabilidade da Oi. 

“A venda pulverizada seria complexa e de um risco à própria recuperação judicial, que é bom lembrar existe para não deixar uma empresa quebrar. A Oi tem milhares de empregados em todo o Brasil e o modelo possível é o que garante o social, os empregos, e minimize os prejuízos dos credores”, afirmou o advogado Gustavo Marinho, da Marinho &Valim Advogados, ouvido pelo portal Convergência Digital.

Para Marinho, cabe à Anatel e ao CADE criarem as condições de proteção ao consumidor. “Os órgãos reguladores e concorrenciais sabem que medidas devem ser impetradas para assegurar que TIM, Vivo e Claro mantenham a competição e garantam o bom atendimento ao consumidor”, reforçou.

Mais informações: https://www.convergenciadigital.com.br/Telecom/Oi-nao-resistiria-a-pulverizacao-dos-ativos-da-Oi-Movel-57528.html