Brasil | Telefônica vê risco de encarecimento e atraso da Rede Privativa do Governo

Em consulta pública da Anatel, empresa aponta riscos em mexer na ocupação da faixa de 700 MHz. Telefônica diz ainda que as regras de uso da faixa de 850 MHz não podem mudar até que a Justiça dê a sentença final no processo que move contra a agência por reduzir o prazo de validade das licenças nas bandas A e B.

78

Tele.síntese – Rafael Bucco

A Telefônica Brasil avisou em sua contribuição à consulta pública da Anatel sobre a revisão do uso de espectro, que mudanças nas condições de utilização de parte da faixa de 700 MHz pode elevar o custo de instalação da rede privativa do governo federal.

A rede privativa será implantada em Brasília, utilizando o bloco de 5+5 MHz nos 700 MHz. O bloco de espectro, pelo regulamento atual da Anatel, é reservado para uso das forças de segurança nacionais, incluindo Exército e polícias nos estados.

Juntamente com a construção de uma rede de fibra óptica conectando órgão federais em cada capital, espera-se que tal rede privativa custe R$ 1,5 bilhão. Esse custo será bancado pelas operadoras Claro, TIM e Vivo, que arremataram a faixa de 3,5 GHz no leilão 5G da Anatel, realizado em novembro.

Mais informações: https://www.telesintese.com.br/telefonica-ve-risco-de-encarecimento-e-atraso-da-rede-privativa-do-governo/