Cisco, RNP e Inatel estimulam Open RAN no Brasil com o projeto 5G.BR

Para o presidente da Cisco, Ricardo Mucci, o 5G.BR Conecta Brasil é alavancador e tem a capacidade de reerguer a indústria brasileira.

424

Leer en español

A Cisco, a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) e o Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel) lançaram nesta quarta-feira, 20, o projeto 5G.Br Conecta Brasil, que tem o objetivo de desenvolver o ecossistema nacional voltado para o Open RAN.

Durante o evento de inauguração, o presidente da Cisco no Brasil, Ricardo Mucci, afirmou que a iniciativa encanta por dois motivos: “Por levar o novo conceito de conectividade e transformação digital para outros campos, que não os urbanos; e por democratizar o conhecimento da tecnologia para os brasileiros, como conceitos baseados em Open RAN.”

O primeiro projeto da parceria é o 5G in-a-box, que facilita e simplifica a chegada da rede da quinta geração em lugares específicos. Carlos Nazareth Motta Marins, diretor do Inatel, explicou que a tecnologia possibilita a criação de um rádio no formato de caixa, “colocar o core dentro dessa caixa e implementar redes privadas com um custo convidativo.”

Apesar de ter uma cobertura pequena, o 5G in-a-box é útil para a economia brasileira porque pode ser implementada em setores como o agronegócio, a mineração ou em hospitais.

Outra iniciativa é a criação de um laboratório conjunto para pesquisas, validações e testes de integração de tecnologias e soluções 5G, que está localizado no Inatel. “Quando a gente tem esses dois mundos se unindo – a capacidade de desenvolvimento de uma unidade de rádio e o contexto de aprendizado e desenvolvimento para questões ligadas à rede – nós teremos, daqui pra frente, a possibilidade de desenvolver aplicações cada vez mais contextualizadas com as necessidades desse mercado”, disse Nazareth.

Desafios a serem enfrentados

Iara Machado, diretora de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da RNP, acredita que os dois desafios que o Brasil enfrenta para tornar sua indústria e seu ecossistema mais competitivos são os investimentos públicos e a formação de recursos humanos.

Ela acredita que é necessário “financiamento e vontade política para colocar o país nesse patamar” e, quanto à capacitação, a formação proporcionada ainda não é suficiente para a demanda existente.

Nazareth coincide com esse ponto: “Não basta ter uma boa intenção e um bom casamento, como esse que está nascendo hoje, se a gente não formar bons talentos para desenvolver as tecnologias.”

A boa notícia é que, segundo Mucci, o projeto 5G.BR Conecta Brasil é alavancador e tem a capacidade de reerguer a indústria, olhando o viés da educação para os brasileiros que vão “escrever o novo capítulo da história da conectividade e da digitalização do país”.

A Cisco participa da iniciativa através de seu programa de aceleração digital, Cisco Brasil Digital e Inclusivo, lançado em 2020 em parceria com o Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações.