Começa o leilão do 5G no Brasil, o maior da América Latina

278

Leer en español

Começa nesta quinta-feira, 4, a licitação das radiofrequências para o 5G no Brasil. O superintendente de Competição e presidente da Comissão Especial de Licitação (CEL), Abraão Balbino, abriu a sessão e a suspendeu em seguida para aguardar a cerimônia de abertura com a presença do presidente Jair Bolsonaro.

Na cerimônia, Leonardo Euler de Morais, presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), mencionou que o leilão se inicia na véspera do dia em que a Anatel completa 24 anos. “Hoje entregamos à sociedade brasileira um elemento essencial para o seu desenvolvimento futuro e o aprimoramento das condições de conectividade digital, a partir da realização do leilão do 5G.”

Ele também comentou que a licitação tem um viés não arrecadatório, exigindo compromissos de investimento como a forma de contrapartida pela outorga das radiofrequências. Alguns deles são a cobertura com tecnologia 4G ou superior de mais de 9 mil distritos não sede sem a infraestrutura móvel celular; cobertura de estradas; e conectividade de escolas.

Morais ainda foi homenageado pelos outros Conselheiros da Anatel, devido ao fim da sua gestão.

Em seguida, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, afirmou que desde que assumiu o cargo, já levou Internet a mais de 9 milhões de pessoas. Ele ainda recordou das atividades que realizou, como evitar que o Fistel fosse aplicado à Internet das Coisas (IoT), a força tarefa para o 5G e as missões internacionais.

“Vamos mostrar para o mundo que o Brasil agora está na economia digital, que está cuidando da transformação digital. que agora é um player e vai virar um hub de inovação para que a gente possa receber empresas, investimentos de inovação e tecnologia”.

Por fim, o presidente Jair Bolsonaro fez um pronunciamento dizendo que o governo está fazendo história e ressaltou que, com o 5G, os indígenas terão acesso à Internet.

A cerimônia foi encerrada com a batida de martelo por Bolsonaro e por Faria. O objeto foi o mesmo utilizado na privatização da Telebrás.