CPQD inaugura novo centro de referência em 5G

Segundo o MCTI, a novidade vai atender uma demanda da indústria para testar e avaliar soluções nas áreas de agricultura, saúde e cidades.

177

Leer en español

O Centro de Pesquisa de Desenvolvimento Tecnológico em Telecomunicações (CPQD) inaugurou um novo espaço para testes em 5G nesta sexta-feira, 8, na cidade paulista de Campinas. O objetivo do Complexo Laboratorial de Conectividade é possibilitar pesquisas em redes e sistemas de comunicação e abrir espaço para novos serviços para atender as demandas decorrentes da introdução de novas tecnologias no mercado, como 5G e Open RAN.

“Ter um laboratório desses no Brasil possibilita atender uma demanda muito grande da indústria para testar e avaliar soluções nas áreas de agricultura, saúde e cidades”, disse o diretor de Inovação do CPQD, Paulo Curado, acrescentando que isso vai contribuir para a transformação digital do país.

Também estive presente na inauguração Paulo Alvim, secretário de Empreendedorismo e Inovação do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). “Essa iniciativa é ação concreta dessa integração de iniciativas e o quanto a ciência, a tecnologia e a inovação podem contribuir para a expansão da conectividade no Brasil”, afirmou.

Fábio Faria, ministro das Comunicações, também esteve no local e se comprometeu em aumentar a parceria do Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações (Funttel) com o CPQD. 

Em contraste, no mesmo dia, o Congresso Nacional aprovou um corte de 92% nos recursos para o MCTI a pedido do Ministério da Economia. Com isso, quase a totalidade do dinheiro que seria destinado a bolsas e apoio à pesquisa será investida em outros ministérios, sobrando apenas R$ 55,2 milhões para a Ciência.

Complexo Laboratorial de Conectividade

O Complexo foi construído com base em conceitos da metodologia Lean, que tem como foco o ganho de eficiência e a eliminação de desperdícios, e possui quatro ambientes equipados para realizar os serviços de ensaios de radiofrequência; ensaios de compatibilidade eletromagnética; ensaios de segurança, desempenho e interoperabilidade; e medição de SAR (Specific Absorption Rate, ou Taxa de Absorção Específica).