Finep vai financiar empresas vencedoras do leilão do 5G

Com recursos do Funttel, a Finep também vai financiar projetos de desenvolvimento do ecossistema 5G que usem equipamentos nacionais.

140

Leer en español

A Finep Inovação e Pesquisa, empresa pública vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, lançou uma linha de financiamento reembolsável voltada para o ecossistema brasileiro do 5G. Uma das possibilidades de crédito é direcionada às empresas vencedoras da licitação.

O diretor de Inovação da Finep, Otavio Burgardt, afirma que o objetivo do projeto é acelerar os ganhos do 5G, “focando tanto no apoio aos fornecedores nacionais de tecnologias para a infraestrutura de Telecom, como no apoio à instalação das redes 5G, desde que com a utilização de tecnologias nacionais”.

O programa contempla duas linhas temáticas: Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação 5G e Redes 5G. Na primeira, o apoio é direcionado ao desenvolvimento de tecnologias para a infraestrutura 5G e de novos produtos e serviços que serão viabilizados pela rede de quinta geração. As taxas de financiamento variam entre 2,3% e 3,5% ao ano, e projetos das regiões Norte, Nordeste ou Centro-Oeste podem ter condições especiais.

Já a segunda opção só estará aberta após o leilão do 5G e será direcionada à instalação das redes das empresas vencedoras da licitação, inclusive do mercado secundário, desde que utilizem tecnologias nacionais. As taxas vão de 2,8% a 3,5% ao ano, dependendo do risco da operação.

“Em ambas as linhas, o prazo de carência pode ser de até 36 meses, e o prazo total de pagamento, de até 240 meses”, informa a Finep.

Para o apoio, a empresa vai destinar recursos do Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações (Funttel). Recentemente, o Conselho Gestor do Funttel liberou R$ 1,183 bilhão para investimentos em projetos de pesquisa e desenvolvimento e linhas de crédito entre 2021 e 2023.

Na ocasião, foi informado que seriam repassados R$ 566 milhões à Finep para ajudar a implementação de redes 5G com produtos fabricados localmente e com tecnologia nacional. Esta reportagem entrou em contato com a empresa para confirmar o montante, mas não teve resposta até a publicação do texto.