Huawei tem soluções para as verticais mais promissoras de 5G no Brasil

A companhia apresentou as possibilidades da nova tecnologia na agricultura, manufatura, mineração, aeroportos e mídia.

289

Leer en español

Líder mundial em infraestrutura de tecnologias de informação e comunicação, a Huawei estuda o 5G desde 2009 e está presente no Brasil há 23 anos, segundo Carlos Lauria, diretor de Relações Governamentais e Assuntos Regulatórios da empresa. Com propriedade na área, a companhia chinesa analisou quais são as melhores oportunidades para a quinta geração da rede móvel no país.

As principais vertentes são manufatura e logística, agricultura, mineração, aeroportos e portos e mídia, disse o diretor durante o evento Inovatic na sexta-feira, 11.

Na manufatura, Lauria deu o exemplo da fábrica da Huawei na cidade paulista de Sorocaba, que é “toda interligada com o 5G, trabalhando de forma bastante integrada com Inteligência Artificial e nuvem”. Dispensando o cabeamento de rede, a produção ganhou eficiência de 25%.

Ele também mencionou a parceria da companhia com o governo de Goiás, onde a Huawei implementou a rede em uma fazenda de Rio Verde. Com o monitoramento da plantação utilizando drones, houve redução do uso de agrotóxicos, água e maior eficiência na aplicação de adubo, pois era possível visualizar e atender apenas as áreas que precisavam de cada recurso.

Com o histórico de dois graves acidentes nas cidades de Mariana e Brumadinho, a mineração é outra oportunidade de aplicar a tecnologia no Brasil. Lauria falou sobre um projeto piloto em que a operação na mina é feita com caminhões autônomos e as escavadeiras são manipuladas de um escritório.

“Isso praticamente elimina as condições perigosas, a velocidade média dos caminhões aumentou de 10 km/h para 35 km/h em função da Inteligência Artificial, e o custo diminuiu bastante”, comentou.

A Huawei ainda possui aplicações no Aeroporto de Shenzhen, na China. “Toda a operação do aeroporto é controlada por 5G, Inteligência Artificial e nuvem, tanto a parte de segurança física quanto a parte de gerência. Então é possível otimizar a utilização dos portões para diminuir o tempo que o usuário fica lá”, explicou o diretor.

Em relação à mídia, a tecnologia permite utilizar somente uma mochila para transmitir o sinal ao vivo de televisão aberta ou fechada. Recentemente, a Huawei apoiou a transmissão de uma etapa da Stock Car utilizando 5G standalone

Lauria finalizou a apresentação informando que a companhia tem soluções para operadoras  de todos os tamanhos. Além disso, estão abertos para ouvir sugestões de aplicações que podem ser desenvolvidas. De acordo com o diretor, o que se sabe é “apenas a pontinha do iceberg”, ainda falta descobrir muitas utilizações para o 5G.