HughesNet ajuda pequenos agricultores do Brasil a se recuperarem da crise

A companhia de Internet via satélite criou uma plataforma para conectar produtores familiares e consumidores finais, uma forma de ajudar a se recuperar da pandemia.

283

Leer en español

Ao mesmo tempo em que celebra o aniversário de cinco anos oferecendo banda larga via satélite a consumidores no Brasil, a HughesNet lança um projeto para conectar os pequenos agricultores aos consumidores finais. Trata-se da plataforma Mundo do Campo, que divulga a produção dos produtores familiares.

Presente no Brasil desde 1968, levando Internet para empresas e governo, a companhia estadunidense entrou no mercado consumidor há cinco anos. “Hoje, a HughesNet conecta moradores rurais, agricultores familiares, pequenos produtores, cooperativas, escolas ribeirinhas e muitos outros”, diz Rafael Guimarães, presidente da Hughes do Brasil.

Uma das formas de comemorar esse marco foi com a criação do Mundo do Campo, um site em que os agricultores poderão divulgar seus produtos e indicar aos consumidores onde eles fazem as entregas.

Já os compradores terão acesso a uma vitrine de itens disponíveis e poderão entrar em contato diretamente com os produtores, sem intermediários. A empresa alerta que a plataforma servirá apenas para contatos, sem transações financeiras.

Para Rodrigo Cavalieri, diretor de Marketing e Comunicação da Hughes do Brasil, o Mundo do Campo dá visibilidade aos produtores que tiveram seus canais de venda interrompidos ou prejudicados pela pandemia de Covid-19. 

“Com o agravamento da situação e o consequente fechamento prolongado de bares, restaurantes e escolas, a comercialização e a distribuição de alimentos produzidos pelos pequenos agricultores foram muito afetadas”, afirma Cavalieri. “Essa iniciativa da HughesNet vem para valorizar e estimular o pequeno produtor a se recuperar da crise”.

Novos satélites

A Hughes também está construindo o Júpiter 3, seu novo satélite de ultra-alta densidade, que aumentará a cobertura e a capacidade de conexão em todo o Brasil. O lançamento, que foi atrasado devido à pandemia, está previsto para o segundo semestre de 2022.

No ano passado, a empresa recebeu o aval da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para operar o satélite no país. Por meio do novo equipamento, a Hughes espera complementar a cobertura do serviço de banda larga residencial e corporativa, incluindo redes governamentais, backhaul celular e Wi-Fi.

Para além do Brasil, a companhia já apontou que pretende ter uma rede de satélites em órbita baixa para fornecer conectividade de alta velocidade para redes 5G. “A próxima rede que já está em implantação, da qual a Hughes participa, é a rede 5G”, disse Eloy Méndez, diretor Comercial da Hughes México. “O satélite desempenha um papel fundamental porque permitirá expandir a cobertura 5G e permitirá a conectividade de aviões, trens, navios, veículos autônomos, em qualquer lugar.”