MCom libera R$ 368 milhões do Funttel para financiar 5G

O repasse será feito ao BNDES e à Finep, que utilizarão os recursos para estimular o desenvolvimento do ecossistema 5G no Brasil.

153

Leer en español

O Ministério das Comunicações (MCom) autorizou o repasse de R$ 368 milhões do Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações (Funttel) para custear ações relacionadas ao 5G. O anúncio foi feito nesta quarta-feira, 15.

Segundo o MCom, metade do montante será destinado às operações de crédito financiadas pelo Banco Nacional para o Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e, o restante, pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). Outros R$ 16 milhões de recursos não reembolsáveis do Funttel serão liberados pela pasta para bancar projetos de pesquisa e tecnologia.

Para Artur Coimbra, secretário de Telecomunicações do MCom, a ação se faz importante especialmente após o leilão do 5G, já que o objetivo é estimular o segmento das telecomunicações e aumentar a competitividade da indústria brasileira.

Projetos

A Finep usará o montante no Programa Finep 5G, anunciado em outubro, que possui uma linha de financiamento para desenvolvimento de tecnologias para a infraestrutura 5G e de novos produtos e serviços, e outra voltada aos vencedores do leilão, para fomentar a instalação das redes. 

Por sua vez, o BNDES destinará R$ 100 milhões à linha de crédito Finame Funttel, para custear a compra de equipamentos de telecomunicações, e cerca de R$ 80 milhões ao Fundo de Investimentos em Direitos Creditórios (FIDC). O primeiro FIDC foi constituído nesta semana com a Padtec. Ambas as iniciativas vão contribuir para as pequenas e médias empresas, como os provedores de pequeno porte (PPP).

Além disso, o BNDES vai aplicar outros R$ 120 milhões do Funttel para financiamento à Intelbras. Com isso, serão desenvolvidos produtos e soluções em 5G, Internet das Coisas (IoT), Inteligência Artificial (IA) e de infraestrutura de energia e comunicação. A estimativa é que sejam criados dois mil empregos qualificados.

“Os investimentos previstos no projeto resultarão em produtos inovadores com potencial de impacto na competitividade da indústria nacional e na qualidade de serviços de telecomunicação”, afirma Bruno Aranha, diretor de Crédito Produtivo e Socioambiental do Banco. “A nova linha de equipamentos 5G, em particular, vai inserir o Brasil na cadeia mundial de equipamentos com tecnologia de nova geração e contribuir para acelerar a adoção de serviços de banda larga.”

Os R$ 16 milhões não reembolsáveis do Funttel serão investidos na atuação brasileira no mercado espacial. O Finep deverá assinar, em breve, um convênio de R$ 5,3 milhões com o Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA), para implantar infraestrutura terrestre de serviços de controle de satélites de pequeno porte. O Ministério da Defesa contribuirá com mais R$ 1,7 milhão para esse projeto.