Nova Oi planeja receita de R$ 15,5 bilhões em 2024

A companhia detalhou os planos para o triênio de 2022 a 2024, com foco em liderança em fibra, diversificação de receitas e redução de custos.

139

Leer en español

A Oi divulgou seu Plano Estratégico para o triênio 2022-24 nesta segunda-feira, 19, indicando a transformação da “Nova Oi”. Além do foco em fibra, a operadora pretende diversificar a receita com a construção de um ecossistema de parceiros.

A companhia vai buscar um modelo de negócios sustentável baseado na “(I)aceleração das receitas dos negócios core e implementação de novas fontes; (ii) da readequação da sua estrutura de custos, (iii) do equacionamento da concessão e (iv) do desenvolvimento da InfraCo”, de acordo com fato relevante publicado hoje. O objetivo é se tornar “líder em soluções digitais e conexões de fibra óptica que melhorem a vida das pessoas e empresas em todo o país”.

A expectativa da Nova Oi é chegar a uma receita líquida de R$ 14,8 a R$ 15,5 bilhões em 2024, com um EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 1,9 a R$ 2,3 bilhões. 

A fibra será responsável por grande parte deste resultado. A projeção para 2024 é chegar a 8 milhões de casas conectadas com a infraestrutura, por exemplo. Rodrigo Abreu, CEO da Oi, informou que a receita pode alcançar R$ 9,3 bilhões, mais do que triplicando os ganhos deste ano, que devem ser de R$ 3 bilhões. 

Esses valores também incluem o faturamento com pequenas empresas.

Quanto ao mercado B2B, a companhia afirma que a Oi Soluções compensa a redução da receita legada de voz e conectividade com crescimento dos ganhos em TI. Espera-se chegar ao faturamento de R$ 2,6 bilhões em 2024.

Já a “receita incremental”, que envolve os serviços não relacionados à conectividade, aponta para ganhos entre R$ 1 bilhão e R$ 1,5 bilhão em 2024. Isso significaria 10% da receita total da empresa. 

O CEO da companhia explicou que a Oi já está desenvolvendo novas possibilidades, como Oi Play, Oi Conta Zap e Oi Place, seja por meio de produtos próprios ou com parceiros. E ainda há grande chance de crescimento tendo em vista a extensa base de clientes – são mais de 13 milhões de casas atendidas e 630 mil empresas clientes B2B – e as verticais como casa digital, varejo online, telemedicina e gaming.

Em relação à InfraCo, espera-se que a entrada de um sócio investidor melhore a capacidade financeira da empresa para manter a forte expansão de fibra. No entanto, os ganhos não foram detalhados, já que a venda para o BTG Pactual ainda não foi concluída.

Redução de custos

A companhia prometeu R$ 1 bilhão em redução de custo por meio de um programa que inclui simplificação do portfólio, digitalização de serviços e automação de processos; otimização, fechamento e venda de lojas, prédios, centrais e CDs; aumento do giro de estoques e reuso de equipamentos; entre outras medidas.

A Oi também considera que a migração do modelo de concessão para autorização deve reduzir significativamente o consumo de caixa e opex do Serviço Telefônico Fixo Comutado. Além disso, a Oi tem a expectativa de que o processo de arbitragem com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) possa gerar impacto positivo de vários bilhões até 2023.