TIM e Nokia lançam primeiro piloto 5G standalone para agro do Brasil

No evento, as duas empresas demonstraram o uso de drone para monitoramento em tempo real e o uso de Inteligência Artificial no campo.

332

Leer en español

A TIM e a Nokia lançaram um projeto piloto usando 5G standalone (5G SA) para o aumento da produtividade e inovação no agronegócio nesta terça-feira, 11.

A iniciativa contou com a participação da Associação Matogrossense dos Produtores de Algodão (AMPA) e empresas do ConectarAGRO, uma associação de fomento à conectividade no campo.

O evento aconteceu no Centro de Treinamento e Difusão Tecnológica da AMPA, em Rondonópolis, no Mato Grosso, onde foram demonstradas soluções 5G, como o uso de drones para realizar monitoramento em tempo real com imagens 4K e a interação com Inteligência Artificial na agricultura.

“O lançamento do primeiro piloto Agro 5G SA […] é uma amostra do que será possível fazer com a nova tecnologia para o Brasil dar um salto no ganho de eficiência e produtividade no agronegócio e também na inclusão digital da população que vive no campo”, disse Paulo Humberto Gouvêa, diretor de Soluções Corporativas da TIM Brasil.

O Ministro das Comunicações, Fábio Faria, comentou que o 5G vai fazer com que o agronegócio cresça 20% a mais, em média. Ele também acredita que o leilão da nova rede ampliará a conectividade do país, fazendo acabar o deserto digital do Brasil, que atinge principalmente as áreas rurais.

A Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, também esteve presente no evento. Ela acrescentou que o leilão vai trazer melhoria no “social, ambiental e na produtividade do agro brasileiro”.

Produtividade

Um estudo da ConectarAGRO revelou que o uso de tecnologias na agricultura pode trazer economia de R$ 266 mil por ano. A análise foi feita em uma fazenda de 1.500 hectares, que cultiva algodão, milho e soja, para avaliar se o retorno econômico em tecnologia cobre o investimento dos agricultores.

“O investimento se sustenta. Agora a gente precisa educar, buscar soluções, buscar maneiras de acelerar a adoção dessa atividade no campo”, disse Renato Bueno, diretor de Novos Negócios da Nokia no Brasil.