TIM quer levar 4G a todas as cidades do Brasil usando energia solar

O objetivo da empresa é cobrir todos os municípios brasileiros com rede da quarta geração até 2023.

288

Leer en español

A TIM anunciou nesta semana o projeto SkyCoverage, para cobrir 100% dos municípios brasileiros com 4G até 2023. A iniciativa teve as primeiras antenas instaladas no começo do ano e tem priorizado o uso de energia renovável.

O projeto utiliza soluções off-grid, que não dependem de rede elétrica, mas são alimentados por painéis fotovoltaicos, para oferecer infraestrutura simplificada, com menor custo e garantir maior cobertura tecnológica de quarta geração.

O objetivo do SkyCoverage é integrar a operadora, parceiros e fornecedores e disponibilizar conectividade 4G em 700 MHz aproveitando energia solar.

Para Leonardo Capdeville, CTIO da TIM Brasil, a iniciativa auxilia na inclusão digital do país, além de ativar o “potencial econômico e social dessas regiões, seja para o aumento da produtividade ou para incentivar a educação”.

Em abril, a operadora anunciou as primeiras torres alimentadas por energia solar para levar conectividade a regiões remotas. Na ocasião, o vice-presidente de Assuntos Regulatórios e Institucionais, Mario Girasole, disse que o projeto faz parte das ambições ESG (ambientais, sociais e de governança, na sigla em inglês) da companhia. “Vai colaborar com a nossa meta de, até 2025, alcançar 80% de ecoeficiência no tráfego de dados e ter 90% do nosso consumo de energia proveniente de fontes renováveis”, comentou.

O projeto também está de acordo com as obrigações previstas no edital do 5G, o qual determina que as empresas vencedoras devem atender áreas com mais de 600 habitantes com tecnologia 4G ou superior até 2028.

Indicadores

Dados da Agência Nacional de Telecomunicações mostram que a TIM já cobre 4.718 municípios, o que corresponde a 84,7% das cidades brasileiras. A cobertura é maior do que as concorrentes Vivo (81,1%) e Claro (79,1%).

A TIM também foi eleita operadora líder em disponibilidade de sinal 4G para seus clientes do Brasil no relatório da consultoria OpenSignal de 2020. A medida corresponde à proporção de tempo em que os usuários com um dispositivo 4G têm a conexão correspondente.