Vivo, Ericsson e FEI criam centro tecnológico com 5G voltado para soluções na indústria

O acordo visa atingir os setores de automação, logística mobilidade urbana, agronegócio e outros

0
212

Leer en español

A Vivo, o Centro Universitário FEI e a Ericsson anunciaram nesta quinta-feira, 15, a criação de um Centro de Soluções 5G. O local funcionará como um polo tecnológico e terá Internet das coisas (IoT, na sigla em inglês) para desenvolver pesquisas e soluções para os setores industriais.

O projeto será voltado principalmente para as áreas de automação, logística, mobilidade urbana e setores que demandam grande comunicação entre os dispositivos, como o agronegócio e mineração.

O Centro terá sede no campus da FEI em São Bernardo do Campo, em São Paulo, e combinará equipamentos Ericsson com a rede privativa da Vivo, que utilizará a frequência de 3,5 GHz.

Além da conectividade, a Vivo pretende criar novas aplicações tecnológicas a partir da sua experiência em inovação aberta. “O programa será a base para a construção de um ecossistema mais amplo, com soluções que contemplam as novas demandas industriais, potencializadas por IoT, Inteligência Artificial e Robótica, com foco no aumento de eficiência e produtividade”, diz Diego Aguiar, head de Inovação, IoT e Big Data da Vivo Empresas.

A FEI já atua em projetos e pesquisas relacionados à Indústria 4.0 e cidades inteligentes com ferramentas de manufatura digital, plataformas de IoT, nuvem e criação de gêmeos digitais. Com a parceria, as iniciativas serão impulsionadas e os alunos também terão acesso ao 5G, ampliando o desempenho dos trabalhos.

A rede ficará disponível no laboratório de manufatura digital e manufatura integrada, laboratório de IoT, além de conectar os equipamentos do Centro de Laboratórios Mecânicos e do time de futebol de robôs.

Rogério Loripe, vice-presidente de Negócios da Ericsson, ressalta os efeitos no setor industrial: “Estamos falando de um segmento que já conta com um alto nível de automatização, motivo pelo qual o avanço da tecnologia de aplicações em nuvem sobre o 5G permite que rapidamente novas arquiteturas inteligentes sejam implementadas, trazendo enormes ganhos de produtividade e flexibilidade com inovações de IoT.”

Recentemente, a Ericsson também anunciou a criação do 5G Smart Campus Facens em colaboração com a Embratel, a Claro e o centro universitário Facens. O campus conectado será disponibilizado para a academia, empresas e startups testarem, criarem protótipos e escalarem produtos e serviços usando a nova rede.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here